segunda-feira, novembro 18

Você sabe a origem do Dia da Mulher?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Todo ano, no dia 8 de março, comemoramos o Dia Internacional da Mulher. Para muitas, representa apenas um dia comercial, em que se ganha principalmente flores. Para outras, é um dia de luta, para lembrar a todas as mulheres as conquistas que fizemos, assim como vários problemas que ainda estão por resolver, como as diferenças salariais, aborto e o feminicídio. Mas, então, o que este dia realmente celebra?

O Dia Internacional da Mulher simboliza todas as lutas enfrentadas pelas mulheres.  Além disso, é utilizado para conscientizar a todos sobre a importância destas batalhas. Nos dias atuais aproxima-se mais de sua origem, a luta de mulheres (nos Estados Unidos e Europa, principalmente) por melhores condições de vida.

O evento histórico mais marcante para a definição do Dia Internacional da Mulher é o chamado “Triangle Fire” um incêndio ocorrido no dia 25 de março de 1911, na Triangle Shirtwaist Company, em Nova York. Neste incêndio 146 trabalhadores morreram, sendo  125 mulheres e 21 homens. Este desastre deu grande foco às péssimas condições de trabalho enfrentadas pelas mulheres na Revolução Industrial.

Este, decididamente, não foi o primeiro acontecimento relacionado às reivindicações das mulheres. Há registros de eventos anteriores, nos anos de 1909, em Nova York e Chicago; 1910,em Copenhage;  1911, na Áustria, Dinamarca, Alemanha e Suíça; 1913, nos Estados Unidos; e 1917, na Rússia. E, com certeza, ocorreram outros dos quais não temos registro.

O ano de 1975 foi definido pela ONU como o Ano Internacional da Mulher, em conjunto com a oficialização do Dia Internacional da Mulher. Em julho de 2010 foi instituída a ONU Mulheres , que objetiva a Igualdade de Gênero e Empoderamento das Mulheres.

Linha do tempo do estabelecimento do Dia Internacional da Mulher

Linha do tempo da Origem do Dia Internacional da Mulher
Autoria: Fabíola Martins

De acordo com a ONU, o Dia Internacional da Mulher é um dia em que as mulheres são reconhecidas por suas conquistas, independentemente da sua nacionalidade, etnia, língua etc. O dia é importante também para dar suporte às mulheres: seus direitos, suas lutas e sua inclusão em todas as áreas.

O 8 de Março permanece um dia de luta, para nos lembrarmos que ainda há muitos problemas a se resolver. Podemos ver que houve uma grande evolução na discussão dos problemas relacionados à mulher, além do apoio àquelas que sofrem abusos. Não podemos deixar de observar as melhorias e continuar buscando a igualdade de direitos.

EMPRESAS PARA INFORMAÇÃO, APOIO E AJUDA (Fonte: reamp)

Mulheres de Impacto: Iniciativa da ONU Mulheres e Think Olga. O canal de crowdfunding foi criado para consultoria e ativação de rede para projetos de empoderamento feminino.

ONU Mulheres: Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres.

He for She: Um convite a homens e pessoas de todos os gêneros a ser solidários com as mulheres e criar uma força forte, visível e unificada para um mundo com igualdade de gênero.

Think Olga: Projeto para criar conteúdo que reflita a complexidade das mulheres e as trate com a seriedade que pessoas capazes de definir os rumos do mundo merecem.

Malala Fund: A Malala advoga a favor de recursos e novas políticas necessárias para garantir que todas as meninas completem 12 anos de estudo.

Women Tech Makers: O programa Women Techmakers do Google proporciona visibilidade, comunidade e recursos para mulheres na tecnologia.

MariaLab: Conhecido como um hackerspace feminista, é voltado para mulheres trocarem informações e conhecimentos sobre tecnologia por meio de oficinas e palestras que educam mulheres em eletrônica, programação, raciocínio lógico e tudo que as tornem capacitadas para o uso e desenvolvimento de tecnologias.


_____
Você também pode gostar de:
Valorização da Mulher & sua Relação ao Direito à Integridade Física


Compartilhar.

Sobre o Autor

Avatar

2 Comentários

  1. Pingback: Denise Dias – Mulher do Agro no Ensino e Pesquisa | AgroMulher

  2. Pingback: Feminismo – você sabe o que significa? | AgroMulher

Deixe Seu Comentário