terça-feira, outubro 23

Tratamentos preventivos ajudam produtor de grãos a manter rentabilidade no inverno

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
A máxima “é melhor prevenir do que remediar” tem permitido que os produtores de grãos de inverno das regiões mais frias do país superem as adversidades climáticas da estação em suas lavouras. Aplicações de soluções naturais à base de aminoácidos, dias antes da ocorrência de fenômenos como geada ou queda de temperaturas, contribuem para a manutenção do desenvolvimento das culturas.

Durante essa estação, manter o metabolismo da planta ativo diminui o ponto de congelamento do vegetal, podendo evitar queima e redução de área foliar. “Dessa forma, é possível fazer com que a planta continue realizando a fotossíntese, produzindo energia e minimizando perdas “, afirma o engenheiro agrônomo Fransérgio Batista, gerente técnico especializado em grãos da Alltech Crop Science.

De acordo com o especialista, os aminoácidos funcionam justamente como ativadores naturais do metabolismo do vegetal. “Se eu sei que vai acontecer uma geada na semana que vem, é importante que eu aja preventivamente, primeiro realizando a aplicação desses complexos. Como consequência, o produtor já vai conseguir observar plantas com um aspecto visual mais verde”, explica.

Outra prática indicada por Batista é associar estes aminoácidos a alguns nutrientes como cálcio, magnésio, potássio e manganês, chamados de “osmoprotetores”, extremamente importantes para o vegetal. “Com isso, é possível aumentar a quantidade de sais dentro da planta, que vão diminuir o ponto de congelamento”, ressalta o engenheiro agrônomo.

Para o gerente, o grande benefício do tratamento se dá no momento em que as temperaturas voltam a subir. “Na lavoura em que não foi realizada a aplicação de aminoácidos, as plantas vão demorar muito mais tempo para sair do estresse gerado pelo frio. Já nas propriedades em que produtor fez o tratamento preventivo, a partir do momento em que o sol volta, ela tem uma resposta fisiológica rápida, o que permite um resultado maior em produtividade”, finaliza.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Vanessa Sabioni

Graduada em Egenharia Agrônoma e Mestre em Fitopatologia pela Universidade Federal de Viçosa – MG. Atualmente cursa o MBA em Marketing ministrado pela Esalq-USP. CEO e Fundadora da Rede Digital AgroMulher.

Deixe Seu Comentário