quinta-feira, setembro 20

Sua carreira e relacionamentos precisam de ajuda?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Aprender idiomas online, consertar algo em casa, envolver-se em processos de melhoria contínua… Já percebeu que algumas pessoas fazem muitas coisas por conta própria e outras performam melhor com o acompanhamento de alguém? Vale a tentativa! Mas, e quando o assunto é sério demais?

Outro dia conversando com um amigo – papo de quem já entrou nos “enta”, ok? – lembramos de um desenho antigo que aqui no Brasil era chamado de Família Urso e de Charlie Bearys nos EUA. Nele, Ursulão, nome do pai da família e eterno fã da filosofia do “do it yourself”, sempre quebrava a cara justamente por esse hábito. Os episódios narravam as diversas frustrações e confusões nas quais ele se envolvia por tentar fazer tudo por conta própria. Claro que não é sempre assim.

Se você conversar comigo, independentemente do assunto, quero dizer qualquer coisa mesmo, muito provavelmente a conversa vai terminar, de alguma forma, em carreira, produtividade e alta performance. É mais forte que eu! Meu último artigo surgiu quando eu assistia o Discovery Channel. Mas como amo o que faço, não consigo evitar compartilhar o que é bom e, ao mesmo tempo, aprender algo a mais com quem converso. E esse papo lembrando o desenho antigo não foi diferente!

Eu gostaria de partilhar com você o que acabamos avaliando ao relembrar do nosso amigo de infância, Ursulão:

Existem coisas que são importantes demais para ficarmos tentando consertar sozinhos! Coisas como carreira, família, casamento e algumas outras.

De acordo com uma pesquisa da International Stress Management Association (ISMA) no Brasil, 72% das pessoas estão insatisfeitas com o trabalho. A insatisfação em 89% dos casos tem a ver com reconhecimento (por isso tratei anteriormente um artigo sobre este assunto), em 78% com excesso de tarefas e em 63% com problemas de relacionamento no ambiente de trabalho.

Outra pesquisa feita pelo IBGE em 2015 demonstrou que o índice de divórcios no Brasil era de 130.5 mil em 2004 e subiu para 341.1 mil em 2014. Um aumento de 161.4% em 10 anos. E mantem-se acima dos 300 mil. Esses números não são apenas fruto da facilidade pelas leis atuais ou maior aceitação cultural, mas demonstram a insatisfação e dificuldade nos relacionamentos. As pessoas lutam, se esforçam para construir uma família, com isso fica claro que ninguém se separa por aceitação cultural. Os casais se separam porque não conseguiram manter o casamento de forma saudável e sofrem muito com isso. Em meus processos de coaching, é comum eu perceber uma pessoa com foco na carreira, esquecendo-se do impacto na família; o foco é necessário, mas tem que ser sustentável e saudável.

Mencionei estas estatísticas porque se tratam dos mais importantes aspectos de nossas vidas. O lugar onde você passa a maior parte da sua vida é o seu trabalho e, depois, com sua família.

Trata-se da sua vida! Você tem o direito de ter satisfação, sucesso no trabalho e nos relacionamentos!

Mas, e quando isso não vai bem? Dá para consertar sozinho?

Existem algumas perguntas que podem ajudar a responder isso:

  • Qual o meu grau de satisfação com o meu trabalho?

  • O tão esperado final de semana é alegre ou já começo a sofrer a angústia da semana que vai começar?

  • O que estou fazendo, de concreto, para melhorar meu trabalho e gerir minha carreira?

  • Como está o meu casamento?

  • O que eu estou fazendo, de concreto, para melhorar meus relacionamentos com as pessoas que amo?

  • Estou conseguindo, por mim mesmo, achar uma ou mais formas de resolver o problema?

  • Estou conseguindo seguir adiante na resolução do problema?

Entenda que se acomodar, estagnar, é o mesmo que andar para trás! Isto porque as pessoas ao seu redor vão continuar enquanto você parou. Gerando em você uma sensação de retrocesso e insatisfação.

Claro que, como profissional, eu tenho visto todos os dias como o Coaching, com base em técnicas comprovadas, tem auxiliado pessoas nestas situações, revertendo a sensação de estar num túnel sem saída, em superação e realização. Mas a intenção maior aqui é antes de tudo, alertar as pessoas sobre estes números e essa realidade. Pessoas estão perdendo sua felicidade diante destas situações, esquecendo que são destinadas ao sucesso e não ao fracasso. No Brasil, ainda é muito forte a cultura de ignorar, fingir que está tudo bem e a dificuldade de buscar ajuda. Supere essas dificuldades pelo que é importante para você! Não tenha medo de avaliar sua situação enquanto há tempo de reverter dificuldades em sucesso. Tenha medo de obscurecer ou distorcer sua realidade e se enganar até perder o que é importante, até chegar num nível de dor que inviabiliza seguir adiante. Não deixe a vida te levar, mas

Seja o protagonista da sua história e faça dela a melhor história!

Não subestime estas perguntas, responda com a devida atenção e avalie sua situação. Escreva as respostas!

Pela filosofia do “do it yourself” ou pela ajuda de um profissional: Faça acontecer!Lute pelo que você ama! Prove para você mesmo e para o universo que sua realização pessoal, nas diversas áreas de sua vida, está nas suas mãos. E que você, por si mesmo ou buscando a ajuda necessária, vai se tornar uma pessoa melhor, uma pessoa ainda mais feliz! Você merece!

Gostou? Fez sentido para você? Então vamos espalhar o bem, compartilhe e marque alguém que vai se beneficiar com estas dicas.

Te desejo sucesso!

Fontes das pesquisas:

ISMA publicada no G1

http://g1.globo.com/concursos-e-emprego/noticia/2015/04/72-das-pessoas-estao-insatisfeitas-com-o-trabalho-aponta-pesquisa.html

IBGE sobre divórcios no Brasil (2015)

http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2015/11/em-10-anos-taxa-de-divorcios-cresce-mais-de-160-no-pais​

Compartilhar.

Sobre o Autor

Leandro Passos

Atua como Coach de Carreira e Alta Performance, ajudando pessoas sobrecarregadas e sem tempo a realizarem seus mais importantes projetos profissionais e pessoais, tendo ainda mais tempo para quem amam.

Deixe Seu Comentário