Sementes puras e sua importância na produtividade

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O êxito de uma lavoura é dependente de inúmeros fatores, porém o preponderante, sem sombra de dúvidas é a utilização de sementes de alta qualidade, que formem plantas de elevado vigor e consequentemente desempenho superior em produtividade.

Essa qualidade que se espera de uma semente é dividida em atributos genéticos, físicos, fisiológicos e sanitários que no conjunto englobam alto vigor e germinação, livre de patógenos e sementes de ervas daninhas, livre de mistura varietal, livre de contaminantes, torrões, fragmentos de plantas e outras impurezas. Todos esses atributos são de suma importância e somados aos fatores climáticos e de solo irão definir o máximo potencial produtivo da cultura. Para fins de comercialização de sementes, um lote deve indicar a que classe pertence, podendo ser: genética, básica, C1, C2, S1 e S2. Onde cada uma dessas categorias tem por legislação uma tolerância permitida para mistura varietal.

Esta é a qualidade genética, onde está diretamente relacionada com a pureza varietal, dependendo do grau de mistura, pode afetar significativamente a produção. Ninguém quer plantar uma lavoura e se deparar com mistura de outra variedade, ocasionando plantas de ciclo, porte e potencial produtivo diferentes e até mesmo resistência a doenças e acamamento distintos. Formando uma lavoura heterogênea, onde irá dificultar o processo da colheita e como resultado a diminuição de produtividade.

Para que se obtenha uma semente pura geneticamente é necessário que desde a obtenção da semente genética ou básica pelo multiplicador junto ao obtentor, esta já venha praticamente livre de misturas. No momento do plantio, limpeza rigorosa na semeadora, isolamento da área com fácil identificação de talhões. No entanto, devido à alta demanda e variabilidade de cultivares nos campos de multiplicação, acabam aparecendo misturas. com variedades distintas. Por isso, no processo de multiplicação de sementes existe uma etapa chamada “rouguing” que consiste na entrada na área, em diferentes estádios de desenvolvimento da cultura, de pessoas previamente treinadas para realizar manualmente a eliminação de qualquer planta atípica e indesejáveis ao campo de produção.

Durante a colheita é realizado a limpeza completa de todos os componentes das colhedoras e feita a varredura dos caminhões. No recebimento é feita a limpeza das moegas e máquinas de beneficiamento e a referida identificação de qual variedade ali está. Após a colheita ainda são realizados testes de laboratório nas cargas que irão entrar na unidade de beneficiamento de sementes UBS, são testes rápidos afim para aferir se esta variedade é realmente condizente com o que está descrito na nota fiscal e se contém sementes de outras variedades através de testes visuais, onde se analisa a cor do hilo, formato do grão e é realizado o teste químico de hipoclorito.

De acordo com o resultado do teste destinam-se as cargas ao beneficiamento ou para o descarte como grão. Portanto uma semente de qualidade começa desde sua primeira geração junto ao obtentor e passa por várias etapas e cuidados extremamente rigorosos e diferenciados já nos multiplicadores para manter todas as suas características genéticas, físicas, fisiológicos e sanitários. Para isso é imprescindível o conhecimento e investimento em tecnologias de produção e um controle de qualidade eficaz e estritamente ligado a todos os processos de produção, afim de entregar para o produtor o melhor resultado com sementes de alto vigor e pureza genética.

Texto: Janes Maffini – Representante Técnico de Vendas Roos

SOBRE A SEMENTES ROOS

Com seu centro administrativo localizado na cidade de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul, a Sementes Roos desde 1963 vem colaborando com a agricultura brasileira. É a maior produtora de sementes de trigo e soja do Rio Grande do Sul e está entre as maiores do país.

Com um pacote tecnológico sofisticado, as sementes chegam ao produtor, com garantia através de muita pesquisa e tecnologia para entregar ao produtor sementes de alto vigor, com adaptação ao solo e ao clima de cada região.

Armazenagem e comercialização de grãos também é um forte da Sementes Roos, com 11 unidades de recebimento totaliza uma capacidade de armazenamento de 540 mil toneladas de sementes ou 9 milhões de sacas.

Conheça a Sementes Roos assistindo o vídeo abaixo.

Além do site, você também pode acompanha-los através das redes sociais:

– Instagram
– Facebook
– LinkedIn

Compartilhar.

Sobre o Autor

Paôla Mírian

Estudante de Agronomia; Gerente de Marketing da Rede Agromulher.

Deixe Seu Comentário