segunda-feira, junho 18

Quais são seus objetivos profissionais?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Tenho cada vez mais convicção que estamos caminhando para uma geração falida (moral, financeira e espiritual).

Vejo jovens debruçados em oportunidades excelentes, mas que não conseguem aproveita-las porque fazem parte de um grupo que cresceu sem objetivos, metas e sonhos. Vivem como se estivessem em um barco à deriva. Passam o dia todo navegando, mas não chegam a lugar algum. E quando chegam, não sabem se era o destino em que queriam estar. São emocionalmente frágeis. Foram treinados apenas para os aplausos e não sabem lidar com as frustrações ao longo da jornada.

Em uma pesquisa realizada pela fundação Prince’s Trust, foram ouvidos mais de dois mil jovens com idades entre 16 e 25 anos, e 25% deles afirmaram não estar trabalhando nem estudando. Deste total, um terço está sem emprego há pelo menos seis meses – e um em cada três – já pensou em suicídio.

Imaginem estes jovens, de 16-25 anos, sem qualquer planejamento de carreira. Que tipo de profissional você acredita que ele vai ser dentro de uma organização?

Muitos já devem ter convivido com este modelo. Aquele que na primeira objeção, já desiste do emprego, não aceita sugestão e mesmo errado não tem humildade para reconhecer a falha. E o pior: na maioria gritante das vezes, os pais apoiam a decisão, não permitindo que o filho experimente o desconforto que vai torna-lo mais maduro.

Mantenha o foco. Se aperfeiçoe dentro da sua área. Muitas pessoas querem aprender de tudo, conquistarem vários diplomas de áreas diferentes, e acreditam que ser “bom” no mercado, significa uma coleção de cursos e certificados. Se esquecem que nessa busca desenfreada por informação, acabam deixando de produzir um trabalho de qualidade e de fazer o que realmente gostam e possuem habilidades.

Muitas vezes pensamos que os objetivos precisam ser grandiosos, mas esquecemos que são nas pequenas vitórias que nos transformamos e são elas que nos mantém motivados para continuar na nossa trajetória profissional.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Mariely Biff

Professora Universitária e Consultora em Agronegócios no estado de Mato Grosso. Também atua como voluntária da ONG Por1Sorriso e é fundadora da ONG Seja Luz.

1 comentário

  1. Ótimo Texto,
    Tenho 21 anos, busco sempre novos desafios e maneiras e me melhor como profissional e como pessoa, sou muito observador, e percebo, que os jovens que estão á minha volta, não tem objetivos e muito menos foco… o resultado dessa geração só irá aparecer ai longo do tempo, mas já é possível enxergar adultos totalmente “escravos” de si próprios, controlados pelas mídias e desejos do Ego.

Deixe Seu Comentário