segunda-feira, agosto 20

Produção Criativa de Água

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

por Marianna Batista

Como diria Ana Maria Primavesi, pioneira na abordagem agroecológica do solo; a agricultura e pecuária dependem intimamente do funcionamento da natureza. Lavouras e pastagens podem se tornar menos sujeitas a “riscos climáticos” se os equilíbrios naturais forem observados. Para tanto o produtor rural muito mais do que produzir alimentos possui a missão de produção contínua de água em sua propriedade rural.

Há de se pensar em uma nova metodologia de trabalho no campo, abordagem essa já consolidada em programas de pagamento por serviços ambientais, sendo pioneira a remuneração de produtores rurais para conservação das nascentes no município de Extrema – MG.

Mesmo que não haja esses incentivos por parte dos entes públicos ou ONGs que abranja todo território brasileiro, os produtores rurais devem almejar a maior sustentabilidade dos seus recursos hídricos, de uma maneira criativa e que seja perpetuável para que as futuras gerações possam se beneficiar desses ensinamentos de conservação e produção, ambas as gerações poderão utilizar a tecnologia de uma maneira prática e econômica.

Acontecerá no Brasil dos dias 18 a 23 de março o 8º Fórum Mundial da Água que irá debater o papel da boa gestão da água para a alimentação de uma população em crescimento. Além disso, a organização vai lançar três novos estudos durante o Fórum; o evento internacional visa promover o uso consciente da água, promover compromissos políticos e ações que facilitem o desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente da água em todas as suas dimensões, com base no desenvolvimento ambiental sustentável em âmbito mundial. Não podemos deixar de mencionar que dia 22 de março é comemorado o dia Mundial da Água, sendo esse um recurso finito, o nosso desafio no campo é aliar a demanda mundial de alimentos com o contínuo acesso a quantidade e qualidade de água para as nossas atuais e futuras gerações. Viva a água, Viva a Vida; a quem se ajuda, Deus ajuda!

 

 

Compartilhar.

Sobre o Autor

Agro Mulher

1 comentário

  1. Nelson Campos Alves em

    Concordo plenamente que temos que repensar nossos modelos de produção no agronegócio. Pois não podemos nunca esquecer que os lençóis freáticos, que abastecem nossos mananciais, são abastecidos exatamente onde se pratica agricultura e pecuária. Sendo assim nossas práticas tem de ser ajustadas para cuidarmos dos perfis de solo, que na verdade é quem faz a gestão da água que utilizamos para produzir alimentos. Temos observado que nos dias atuais as extensas áreas de agricultura está a cada dia perdendo a capacidade de infiltrar água. Os solos estão muito compactados, é muito como hoje a gradagens serem feita com as plantadeiras, os sulcadores de ´plantio são indispensáveis. Temos de cuidar para que os plantios sejam feitos sempre sobre biomassa, nunca deixar o solo descoberto nos períodos de entressafra, para manter a atividade biológica, que é quem deixa o solo poroso para receber a água nos períodos chuvosos. Na pecuária, temos as forrageiras que são as melhores plantas para fazerem perfis de solo, porém o uso intenso de aditivos químicos nas dietas agridem a biodiversidade dos solos, e assim favorecem o crescimento das populações que se alimentam das raízes. Dessa forma a gente fala tem de conviver com a contradição de falar em pastagens degradadas, sendo que as forrageiras, são as melhores plantas para fazer perfis de solo, ciclagem de nutrientes.

Deixe Seu Comentário