Planejamento e assistência técnica: o caminho para a rentabilidade

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Nos últimos anos, atingimos um novo patamar onde a assistência consultiva tornou-se primordial para o sucesso das propriedades.

Texto por Gabriela dos Santos

O planejamento técnico, que se inicia na coleta de dados, começa a ser fortemente trabalhado nas propriedades para aumentar a rentabilidade e sustentabilidade da atividade rural.

Produtor(a) e consultoria técnica: um trabalho em equipe

 A sintonia entre consultoria técnica e produtor (a) rural é de fundamental importância para o desenvolvimento do trabalho, que deve ser baseado na coleta de informações e dados, na definição de objetivos e na construção de um planejamento organizado e estratégico, contendo metas de curto, médio e longo prazo, adaptadas a cada realidade.

Hoje, o produtor tornou-se muito mais exigente. Ele procura um produto que seja acompanhado de um serviço de qualidade. Não apenas se faz necessária a venda, como todo o processo que existe pré e pós-venda, tornando-se um ciclo amplo de entendimentos, desde a percepção e características particulares de cada propriedade ou cliente (baseado no cenário regional)até a visão de mercado, partindo da premissa global, que interfere e especula o comércio de commodities.

Nesse cenário, o papel de protagonista na produção de alimentos deve ser do produtor, tornando-se líder por vocação. E na propriedade, a busca do sucesso e da produção rentável deve começar por boas práticas, que envolvem o cuidado com a propriedade, a gestão, a valorização do capital humano, a equipe que se tem envolvida(seja familiar ou funcionários), e as boas parcerias comerciais/técnicas. Com estas premissas, o sucesso já parte do caminho.

Em relação a parte técnica, o produtor deve ter o conhecimento da área que vai ser implantada a cultura, assim fazendo o manejo adequado do solo e, consequentemente, dos fertilizantes e corretivos a serem aplicados, conforme o resultado da análise química do solo. Além disso, deve-se complementar a informação sobre a importância da rotação de culturas e evitar área de pousio.

ETAPAS DO PLANEJAMENTO TÉCNICO

 Primeiramente, é preciso identificar a necessidade de cada produtor. A partir disso, colocá-lo em reflexão, utilizando sua carência por respostas e/ou informações, e buscar maior assertividade nas perguntas e questionamentos. Pois com o levantamento dessa base de dados, pode-se construir um novo cenário através do planejamento técnico, identificando novas perspectivas de acordo com a particularidade de cada propriedade, talhão, área ou fazenda.

Um exemplo claro vem da aquisição da semente, que é um dos principais insumos da lavoura e sua escolha depende de vários fatores que devem ser levantados para cada talhão, como a disponibilidade hídrica, fertilidade e tipos de solo, ciclo da cultivar, época e local de semeadura, espaçamento entre linhas, distribuição de sementes por hectare, tendo em vista também a qualidade da semente (vigor e germinação) e levando em conta ainda o tratamento dessa semente.

Salientamos também a importância do controle de plantas daninhas, uma das boas práticas agronômicas que garante o rendimento da cultura evitando competição com a cultura por nutrientes do solo, água, luz e espaço.

Outro aspecto que merece atenção é a importância do manejo de pragas e doenças, por meio do monitoramento e identificação da praga e do patógeno. Além disso, é importante também o uso de fungicidas e inseticidas preventivos evitando a entrada do fungo ou inseto durante o ciclo da cultura, a fim de manter a população baixa evitando danos econômicos.

CUSTOS DE PRODUÇÃO

Uma produção agrícola envolve diversos custos: sementes, fertilizantes, defensivos agrícolas, maquinários, funcionários, despesas administrativas, armazenamento e outros custos no decorrer da safra.

Por isso um bom planejamento consiste em determinar quais os procedimentos para o sucesso de sua lavoura e controlar os custos para gerar lucratividade, além de atentar-se aos possíveis riscos: clima, comercialização dos produtos agrícolas dependentes do mercado externo e aumento do valor dos insumos, dificultando esse controle de gastos. Conhecendo sua lavoura e fazendo um bom planejamento agrícola, é possível agir sem afetar a produção da lavoura e se preparar para eventuais riscos.

Diante de um cenário cada vez mais dinâmico, apresentando mudanças crescentes e em velocidade acelerada, o planejamento agrícola e estratégico é fundamental aliado no sentido de prever o mercado e o clima, bem como avaliar e redirecionar alternativas em meio a novas perspectivas.

Por meio desse planejamento, é possível alertar o produtor, entendendo o trabalho de riscos e investimentos, bem como re-avaliar as diferentes realidades e práticas de sucesso e insucesso no campo, a partir da rotina de trabalho e manejo de diferentes propriedades rurais. A partir desse novo conceito de planejamento agrícola, surge então um cenário que se desenvolve através da evolução tecnológica e humana, com novas perspectivas de mundo, sociedade, cultura, comércio, agricultura, relações, entregando equilíbrio entre rentabilidade e sustentabilidade na produção de alimentos.

Assistência técnica promove planejamento da atividade agrícola

 O acompanhamento técnico passa segurança e conhecimento ao produtor desde o plantio até a colheita, conduzindo o manejo correto dos insumos a serem aplicados. Quanto ao manejo de plantas daninhas, pragas e doenças, o técnico deve ser assertivo na prescrição do produto e time da aplicação, evitando prejuízo econômico ao produtor. Além disso, planejar o passo a passo da safra é fundamental para visualizar os possíveis problemas e se antecipar com as soluções. Por isso, uma consultoria que trabalha, além do técnico, com o diferencial de um planejamento amplo da atividade, se reafirma como principal aliadado produtor, conforme a necessidade do cliente que busca planejar sua atividade de forma decisiva e rentável.

SOBRE A ROOS 

Com seu centro administrativo localizado na cidade de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul, a  Roos desde 1963 vem colaborando com a agricultura brasileira. É a maior produtora de sementes de trigo e soja do Rio Grande do Sul e está entre as maiores do país.

Com um pacote tecnológico sofisticado, as sementes chegam ao produtor, com garantia através de muita pesquisa e tecnologia para entregar ao produtor sementes de alto vigor, com adaptação ao solo e ao clima de cada região.

Armazenagem e comercialização de grãos também é um forte da Roos, com 11 unidades de recebimento totaliza uma capacidade de armazenamento de 540 mil toneladas de sementes ou 9 milhões de sacas.

Conheça a Roos assistindo o vídeo abaixo.

Além do site, você também pode acompanhá-los através das redes sociais

Instagram

Facebook

LinkedIn

 

Artigo produzido por: Gabriela dos Santos – Engenheira Agrônoma da Roos.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Marluce Corrêa Ribeiro

Filha de produtores rurais, técnica em agropecuária, jornalista e estudante de Agronomia.

Deixe Seu Comentário