Motivação, capacitação e liderança: o diferencial feminino no mercado de trabalho

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Mesmo com tantos desafios enfrentados pelas mulheres, a motivação diária, a constante capacitação e o espírito de liderança fazem delas um grande diferencial no mercado de trabalho

Texto: Marluce Corrêa Ribeiro – Jornalista e Redatora do Portal Agromulher

Você já se perguntou o que te motiva a cumprir com suas obrigações diárias e fazer o seu trabalho bem feito? Um propósito, um sonho, um salário justo, um projeto, uma meta, o amor pelo que faz, o orgulho da profissão, a vida de outras pessoas tocadas pelo seu trabalho… Cada pessoa tem uma motivação individual e bem particular, mas todas precisam ter uma motivação diária que serve como a energia para seguir em frente.

Ser uma pessoa motivada contagia a equipe e faz o trabalho como um todo ter um rendimento melhor. Dentro do agronegócio não é diferente. Diversas são as motivações das mulheres do agro para permanecerem firmes no campo. O fato de o agro ser instrumento de transformação e ser uma atividade essencial que tem influência direta na economia do País, é vista por algumas como um grande motivador profissional. Para outras, o reconhecimento pelo seu trabalho serve de principal motivação diária para seguir firme nesse propósito.

Independente do que te motiva, manter-se disposta e empenhada com suas funções gera resultados extremamente significativos. Exemplo disso é a analista comercial de sementes da Roos, Graciela Rossetto, que se sente motivada por “saber que ainda temos muito para conquistar, muitos estereótipos para mudar. O agro está em constante transformação, e nós, mulheres, fazemos parte dessa evolução, dia-a-dia, nos posicionando, mostrando nossa capacidade e superando desafios”, pontua ela.

Graciela, a exemplo de muitos e muitas profissionais, acredita que o ponto-chave para a motivação de uma equipe é uma comunicação clara, tanto do líder com seus liderados, quanto vice-versa. “Todos gostamos de ser valorizados. Ser reconhecido nos deixa felizes, e isso precisa ser demonstrado. No momento de resolver conflitos, problemas ou apontar erros, a comunicação também é fundamental para dar um bom feedback, podendo assim tirar algo positivo da situação e aprender para que não se repita”, esclarece a analista comercial.

Para a gerente de unidade da Roos, Juliana Schmidt, “a motivação de trabalhar no agro é grande, pois é possível ver as mulheres se destacando, sendo promovidas a gerenciar e a participar do agro em todos os segmentos, cada vez mais. Isso me motiva, pois esse reconhecimento que estamos tendo contribui muito para seguirmos em frente”, relata.

Juliana ainda ressalta o quanto esse reconhecimento acrescenta na evolução da equipe com um todo. “É preciso sempre o reconhecimento do bom trabalho desenvolvido e do diálogo para uma evolução constante da equipe. Pois sem uma equipe unida e motivada não se alcança nenhum objetivo”, declara.

Ter uma equipe motivada atualmente é de extrema importância. Quem também concorda com essa afirmação é a vice-presidente executiva da Roos, Marina Beatriz Roos, que destaca que “devemos valorizar e motivar constantemente as pessoas que ainda vestem a camisa da empresa, que têm orgulho em fazer parte da equipe. Atitudes assim demonstram que essas pessoas amam o que fazem e, consequentemente, seu desempenho será melhor”.

Motivação como diferencial no trabalho

Sem dúvida, um equipe motivada reflete nos resultados e no empenho para fazer a empresa seguir um caminho de sucesso. Para fazer a diferença, é preciso estar motivado e renovar as energias diariamente. A vendedora externa da Roos, Taís Scherer da Silva, considera que, dentro de sua função na empresa, “a motivação está ancorada na busca constante em oferecer o que há de melhor no setor de sementes aos seus clientes”.

Para a agricultora Lizelote Battistella, a motivação vem da certeza de que o agro é vida e da alegria por saber o quanto o agro é dinâmico. “O agro te traz novidades todos os dias e, ao mesmo tempo, você ainda pode utilizar o aprendizado que teve com os mais antigos sobre o tempo, sobre tratar a terra com carinho porque ela te devolve em dobro. Eu continuo no agro muito por isso”, declara.

Equipe produtiva: resultado de capacitação e motivação constantes

Sem dúvida nenhuma, a busca contínua por capacitação e o estímulo da empresa para que seus profissionais permaneçam atualizados e qualificados é também um importante investimento por parte da empresa. A vendedora externa da Roos, Taís Scherer, concorda com essa afirmação e reitera que “a renovação contínua de conhecimento reflete no potencial de entrega de resultados de uma organização. Profissionais capacitados e motivados irão gerar maior produtividade e eficácia no cumprimento dos seus objetivos e metas”.

Para a Engenheira Agrônoma da Roos, Rafaela Biazus, “o incentivo à capacitação é uma forma de crescer e contribuir para alcançar os objetivos. Com certeza é de suma importância, pois mantém o conhecimento e os ensinamentos aliados para o sucesso e, consequentemente, forma uma equipe talentosa”.

A agricultora Lizelote Battistella concorda que “uma equipe se mantém motivada quando você valoriza todos os integrantes. Todas as pessoas que trabalham contigo têm algum conhecimento e acredito que você deve dar muito valor para isso e escutar o que elas fazem. Além disso, todo incentivo que você der para um colaborador, ele vai lhe dar o retorno. Toda equipe bem preparada e que trabalha junto é muito mais forte” reitera ela.

A agricultora Maristela Rohrig também destaca o quanto o trabalho em equipe bem feito pode ser o grande responsável por um resultado satisfatório dentro de uma organização. “A realização deve ser mútua. O trabalho é um conjunto. E o sucesso depende do comprometimento de toda a equipe”, pontua ela.

Para a vice-presidente executiva da Roos, Marina Beatriz Roos, “investir em treinamento e desenvolvimento do colaborador bem como incentivá-lo a seguir se aprimorando é de extrema importância; não somente com o intuito de manter a equipe alinhada, mas prepará-lo para futuros desafios e oportunidades que podem vir a surgir em qualquer área da empresa”.

Liderança que faz a diferença

Além da motivação e capacitação, o desempenho da equipe está diretamente ligado à postura de seu líder. Um líder motivado, que está aberto a ouvir as sugestões, ideias e críticas da equipe, que supera as dificuldades, sabe direcionar os trabalhos e incentiva a equipe toda a caminhar junto faz toda a diferença dentro de uma organização. Para a própria Rafaela Biazus, um bom líder é aquele que é “exigente e ao mesmo tempo motivador, que procura sempre o melhor da sua equipe, com foco no desenvolvimento para alcançar os objetivos e o resultado esperado”.

Outro ponto que merece atenção é a capacidade de se colocar no lugar do outro, que é algo extremamente desejado e útil em um líder. E é justamente essa característica que chama a atenção da assistente de cooperantes da Roos, Lidiane Nathália König. Para ela, um bom líder deve ter empatia e uma busca contínua pela evolução própria e melhoria como gestor.  Ela ainda destaca a importância do incentivo à capacitação dos membros de uma equipe. “Investir na capacitação do colaborador é investir no desenvolvimento da própria organização”, opina.

Desafios superados

Manter-se motivada não é uma tarefa fácil. Muitos são os desafios que devem ser enfrentados todos os dias. O autoconhecimento e a capacidade de ressignificar problemas e enxergá-los como desafios faz com que seja possível tirar algo bom de todas as dificuldades. Entre as mulheres do agro muitos fatores são apontados como os principais desafios dentro da carreira.

Juliana Schmidt, por exemplo, acredita que “o principal desafio encontrado por ela e por tantas outras é o preconceito pelo fato de sermos mulheres. Mas estamos nos destacando cada vez mais no setor do agro, que está mudando e mostrando o crescimento das mulheres na linha de frente. Hoje, vejo que isso é possível, mesmo com todos obstáculos que temos que enfrentar no nosso dia-a-dia. E é isso que nos torna cada vez mais fortes”, comenta ela.

Para muitas mulheres, o maior desafio é trabalhar a autoconfiança. Ter autoconhecimento para confiar no seu potencial é um passo extremamente importante dentro da carreira de qualquer pessoa. Para Lidiane Nathália, esse foi o maior desafio no início da carreira. “Profissionalmente, o principal desafio para mim foi a autoconfiança. Hoje, com as experiências adquiridas, reconheço minhas habilidades e me mantenho positiva para as adversidades”, comenta ela.

Já Rafaela Biazus destaca que o maior desafio é a qualificação para se manter competitiva no mercado.  “Na maioria das vezes, nós mulheres enfrentamos várias batalhas e desafios durante o caminho. Diria que um dos pontos principais é a qualificação para tornar seu trabalho mais eficiente e produtivo. O segredo é manter-se atualizada às novas demandas e continuar competitiva no mercado do agro”, relata.

A agricultora Lizelote Battistella relata que enfrentou diversos desafios como mulher do agro, desde desafios financeiros até desafios para ser respeitada por outros profissionais da área, mas conta que com o tempo isso ela foi mostrando seu potencial e sua capacidade, e isso foi sendo superado.

“Apesar de todos os desafios, o que sempre me motivou muito foi saber que amanhã o dia vai nascer de novo. Nós vamos sempre ter um dia novo e depende da forma como vou enfrentar esse dia. Se eu estiver mais confiante e com esperança, o dia vai ser melhor. O que me motiva, realmente, é que o mundo vai continuar amanhã e a minha vida depende de como eu vou agir no amanhã”, reflete a agricultora.

Para Marina Beatriz Roos, vice-presidente executiva da Roos, as mulheres devem ressignificar os obstáculos e torná-los desafios. “Indiferente dos desafios que surgem no mundo do agro para a nossa aceitação enquanto mulheres, não podemos fazer com que isso seja uma desculpa que nos faça desistir. Devemos tornar isso um desafio. Nascemos para brilhar, então, que nada nos impeça de fazer o que gostamos. Indiferente do lugar onde estejamos!”, comemora.

Mensagem de motivação

Maristela Rohrig – Agricultora

Somos todos capazes! E nos aprimorando de forma consciente em prol do todo, o sucesso e o progresso da empresa ou do negócio em questão é certo.

 

 

Graciela Rossetto – Analista Comercial de Sementes

Nos últimos anos, nós mulheres estamos muito mais unidas, isso em um cenário global, estamos lutando juntas por mais igualdade, exigindo respeito e conquistando nosso espaço. E por conciliar as enormes responsabilidades do trabalho, casa e família, nada mais justo.

Juliana Schmidt – Gerente de Unidade

Todas devem se sentir fortes e capazes de assumir qualquer papel, pois somos todas batalhadoras. Nunca desistir, somente persistir! Pois nada melhor que um dia após o outro para ter a certeza que somos especiais, cada uma de sua forma.

Taís Scherer da Silva – Vendedora Externa

A maior estratégia para driblar os desafios é fazer um bom trabalho. Dada a importância do setor, a responsabilidade das mulheres no agro é muito grande, pois em meio a tudo que estamos passando, o agronegócio segue segurando a economia do nosso país.

Lidiane Nathália König – Assistente de Cooperantes

A força do agronegócio e a diversidade de áreas que o setor abrange são imensas. Orgulho-me em pensar que o meu trabalho faz a diferença.

 

Rafaela Biazus – Engenheira Agrônoma 

Nunca desista de um sonho. Nós, do agro, temos a missão de produzir para alimentar o mundo.

 

 

Lizelote Battistella – Agricultora

Nós, mulheres do agro, continuemos firmes e fortes. Amanhã sempre terá uma novidade, sempre terá uma coisa boa. Como qualquer outro negócio, nós temos ganhos e perdas, mas nós somos muito resilientes e muito fortes. Bora, mulherada! Conquistar mais um pouco do nosso espaço.

 

 

Marina Beatriz Roos – Vice-presidente executiva da Roos (de vermelho)

Mulheres, a nossa luta ainda não terminou, mas as conquistas alcançadas são diversas. Devemos nos inspirar nas coisas já adquiridas e, por meio delas, encontrar forças para continuar.

Conheça mais sobre a Roos

A empresa citada na reportagem, onde Juliana Schmidt trabalha, é a Roos, que atua fortemente no ramo de sementes. Com seu centro administrativo localizado na cidade de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul, a  Roos desde 1963 vem colaborando com a agricultura brasileira. É a maior produtora de sementes de trigo e soja do Rio Grande do Sul e está entre as maiores do país.

Com um pacote tecnológico sofisticado, as sementes chegam ao produtor, com garantia através de muita pesquisa e tecnologia para entregar ao produtor sementes de alto vigor, com adaptação ao solo e ao clima de cada região.

Armazenagem e comercialização de grãos também é um forte da Roos, com 11 unidades de recebimento totaliza uma capacidade de armazenamento de 540 mil toneladas de sementes ou 9 milhões de sacas.

Além do site, você também pode acompanhá-los através das redes sociais

– Instagram

– Facebook

– LinkedIn

Compartilhar.

Sobre o Autor

AgroMulher

A Rede Digital AgroMulher nasceu com o propósito de gerar resultados por meio da democratização de informações de qualidade e, assim, promover o crescimento de profissionais ligados ao agronegócio.

Deixe Seu Comentário