quarta-feira, novembro 14

Mãe e trabalhadora numa vida acelerada, mas muito feliz no Agro; BLOG MAS ENTREVISTA: LETÍCIA SOARES

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Formada em Agronomia, inglês e espanhol, fala também um pouquinho de francês e quer aprender italiano. Esta patrocinense não para. Tem uma especialização, quer fazer MBA e ainda tem uma filha para criar! Trabalha no setor agro numa vida corrida, mas cheia de desafios sendo superados a cada momento. Conheça um pouco mais a vida desta incrível mulher de sucesso, Letícia Soares.

Conte-nos um pouco de sua história pessoal…

Sou natural de Patrocínio (MG), sexta filha dos meus pais. Mesmo sendo nascida em família simples e considerada numerosa por muitos, meus pais nunca mediram esforços no quesito educação. Todos nós filhos, tivemos oportunidade de estudar em boas escolas, bem como estudar línguas estrangeiras e ingressar na faculdade. Ingressei na faculdade de Agronomia com 17 anos e me formei com 22. Sou formada em Inglês, Espanhol e fiz um pouquinho de Francês, mas quero ainda voltar a fazer o Francês e aprender o Italiano. No final do meu curso de Agronomia tive a graça de ser mãe, um desafio difícil, mas incrível que vivencio diariamente. Não quero parar nunca. Fiz uma especialização em Engenharia de Segurança, este ano tenho planos de iniciar um MBA.

Como foi o início de sua carreira profissional?

No início da minha carreira, tive um grande desafio, como mencionei anteriormente. Engravidei no final do curso e aos 21 anos me vi com a responsabilidade de iniciar uma carreira profissional e cuidar de uma princesinha. Foi difícil provar que mesmo com um bebê pequeno eu poderia ser uma profissional dedicada e competente. Passei meus dois primeiros anos depois de formada trabalhando em uma propriedade rural, mas sempre buscando oportunidades no mercado de vendas. Mercado este em que trabalho de 2009 até hoje.

Como é seu dia a dia no trabalho?

Hoje estou iniciando um novo desafio, mas o dia a dia do trabalho será bem parecido com o último emprego que deixei mês passado. Tenho a rotina de fazer um planejamento anual, outro mensal e ir revisando semana por semana. Normalmente na sexta ou segunda bem cedo firmo meus compromissos já agendados, encaixo pendências e faço as alterações necessárias para iniciar mais uma semana de trabalho. Minhas atividades diárias resumem em: visitas as distribuidoras de produtos e propriedades rurais, treinamentos para equipe de vendas dos distribuidores, e muitas negociações. Parece muito, mas adoro minha rotina acelerada.

Quais são as maiores dificuldades e, por outro lado, os pontos mais positivos?

Vou trocar a palavra dificuldade por desafio. Meu maior desafio é conciliar o trabalho com essa rotina mencionada anteriormente com o papel de mãe, dona de casa, filha, namorada etc… São vários papéis para uma mulher só. Contudo, aprendi nestes 11 anos de mãe e trabalhadora que o equilíbrio é a melhor saída. Sempre vamos ter tempo para nossas prioridades, o segredo é organizar melhor nosso tempo!

O que mudou no meio em que trabalha desde quando você começou, ou seja, o que está diferente hoje do que era?

Muita coisa tem mudado, ainda bem! Temos cada dia mais mulheres no mercado Agro, respeito a essas profissionais da área ampliando, mesmo que ainda exista preconceito infelizmente. Fico muito feliz com essa evolução e espero que melhore a cada dia.

Você encontrou dificuldades pelo fato de ser mulher? Quais foram e como foram superadas?

Infelizmente, a resposta é sim. Tive dificuldades em ser mulher e, mais ainda, em ser mulher e mãe solteira. Cada passo dado, eu tinha que calcular as possíveis reações, evitando interferências no meu crescimento profissional. Mas, carrego comigo a teoria do bambu: podem vir ventos fortes que tentem nos derrubar, mas se tivermos a capacidade de adaptação e resiliência, não vamos nos quebrar; vamos ser iguais aos bambus: tombar e retomar o prumo mas cada vez ainda mais fortes. Tive a graça de ter encontrado no meu caminho muitas pessoas boas e várias delas me ajudaram a chegar até aqui.

Você é feliz no que faz e o que mais te motiva a continuar?

Muito feliz e realizada no que faço. Entendo que eu faço parte do trabalho que mantém o mundo vivo. A PRODUÇÃO DE ALIMENTO! Amo minha profissão e sei sua importância para mundo, isso me mantém muito motivada a continuar.

Que mensagem deixaria para as mulheres do agro?

Olha, falei da teoria do bambu, se hoje fosse indicar 2 livros para mulheres deste século lerem que eu adorei e me motivaram muito na minha caminhada, indicaria:

A teoria do Bambu – Ping Fu

A arte da guerra para mulheres – Chin-Ning Chu

Agradeço a oportunidade de contar um pouquinho da minha vida e quem sabe encorajar e inspirar outras mulheres.

(Entrevista concedida ao jornalista André Luiz Costa / Blog MAS)

Compartilhar.

Sobre o Autor

Andréa Oliveira

Advogada, atuando em diversas áreas do Direito, com foco em Direito do Agronegócio.

Deixe Seu Comentário