Liderança feminina existe?

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Olá, AgroMulher! É com entusiasmo que abro esta série de artigos para falarmos sobre liderança feminina. A partir de agora temos um encontro mensal para abordarmos temas relacionados à liderança, poder e universo feminino, e, como coluna inaugural, nada mais justo do que delimitar o que vamos tratar aqui, não é mesmo?

A liderança em si é um fenômeno complexo e cada um terá uma definição de liderança adequada ao seu perfil. Falando de outro modo: a liderança em essência é uma só, mas pode ter várias faces, dependendo de quem a exerce. Em um mundo ainda predominantemente liderado pelo masculino, é natural que sobressaia a face mais masculina na forma de liderar. No entanto, nos últimos anos, a valorização de habilidades como criatividade, flexibilidade, sensibilidade e colaboração ganharam mais destaque no ambiente de trabalho, mostrando que esse modelo vem em acelerada transformação na medida em que mais e mais mulheres ocupam o mercado de trabalho e os postos de poder. Essas habilidades sempre foram importantes, afinal, mães são líderes por natureza, mas o seu deslocamento do âmbito privado/familiar para o âmbito público/corporativo é relativamente novo.

Em um mundo ainda predominantemente liderado pelo masculino, é natural que sobressaia a face mais masculina na forma de liderar. No entanto, nos últimos anos, a valorização de habilidades como criatividade, flexibilidade, sensibilidade e colaboração ganharam mais destaque no ambiente de trabalho, mostrando que esse modelo vem em acelerada transformação na medida em que mais e mais mulheres ocupam o mercado de trabalho e os postos de poder. Essas habilidades sempre foram importantes, afinal, mães são líderes por natureza, mas o seu deslocamento do âmbito privado/familiar para o âmbito público/corporativo é relativamente novo.

Nesse sentido, muito se fala de liderança para mulheres e de mulheres na liderança, mas pouco se fala sobre habilidades femininas aplicadas à liderança. É essa última que caracteriza a liderança feminina de que vamos tratar aqui. Mas, por que essa questão sutil seria tão importante em um mundo com tantos problemas urgentes?

Um ambiente em que a energia masculina é dominante em excesso tende a sufocar a energia feminina e entrar em desequilíbrio. Independentemente do gênero dos sujeitos envolvidos, esse desequilíbrio gera insatisfação, baixa performance, estresse. Você provavelmente já experimentou esse desequilíbrio na forma de constrangimentos das mais variadas formas. Sabemos que mulheres falam menos em público, são mais interrompidas durante a fala, sem contabilizar os salários mais baixos, os assédios e etc.

Só isso já seria razão suficiente, mas existe um aspecto em relação ao exercício do poder que é central para a questão das mulheres na liderança. Quando o modelo de poder não dialoga com a essência de determinada pessoa, essa pessoa não vai desejar um cargo de liderança. Ou, se desejar, ela vai precisar mudar a sua essência ou enfrentar o sistema para que ele mude. Eu espero que você esteja escolhendo a segunda opção! 😉 Mas, a grande questão é que às vezes o preço dessa batalha é alto e o retorno incerto, e muitas de nós optam, ainda que inconscientemente, por não tentar.

Em resumo, dialogar sobre o fato de que habilidades femininas integram o modelo de poder faz parte do processo rumo a uma sociedade mais justa. Então, embora a liderança feminina seja apenas um aspecto da liderança, ela existe! Eu acredito que a aproximação entre liderança e poder passa tanto pelo uso do poder pessoal para um propósito ético quanto pelo equilíbrio entre o feminino e o masculino. Minha tarefa aqui será mostrar que esse poder já existe dentro de você e poderá ser utilizado de forma intencional para uma liderança efetiva, afinal, o único poder verdadeiro é o poder sobre si mesmo.

Até a próxima!

Compartilhar.

Sobre o Autor

Manoela Dona

Manoela Doná Ardenghi é formada em Direito pela PUCRS, atuou como advogada no ambiente corporativo durante 3 anos e atualmente é empresária e formada em Leader Coaching pelo IBC. Já teve muitas experiências nesse mundo e encontrou machismo em todos os lugares que foi. Falar de liderança feminina é um projeto, uma mensagem e uma conversa que gostaria de ter tido nas várias vezes que pensou em desistir dos seus sonhos em função das agressões que nós sofremos como mulheres no âmbito particular, público, no trabalho ou em casa. Por isso traz às mulheres (e a quem mais se beneficiar dessa conversa) tudo o que estuda e vivencia sobre liderança, coaching, negociação, empreendedorismo, desenvolvimento pessoal e empoderamento feminino. Você a encontra nas seguintes redes sociais: www.instagram.com/manoela.dona www.facebook.com/manoela.dona www.linkedin.com/in/mardenghi E, lógico, no instagram dedicado à liderança feminina da @umpa_leadership <3 www.instagram.com/umpa_leadership

1 comentário

Deixe Seu Comentário