Em tempos de crise, confiança na equipe de trabalho é primordial

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Confiança, comunicação eficaz e empatia são elementos-chave para aumentar o engajamento da equipe em momentos de mudanças

Recentemente, conversando com um Diretor de uma empresa, ele me disse que está com dificuldades em como encarar esse novo contexto, como lidar com a equipe, tendo grande parte dela trabalhando em home office.

Então, sugeri algumas estratégias que ele poderia adotar, não só durante essa fase, mas também para conduzir outros momentos de turbulência e mudanças que, certamente, sua empresa atravessará, já que eles tendem a ser cada vez mais constantes daqui para frente. E acredito que estas dicas podem ser valiosas para você que está lendo este artigo também, se você é Gestor/Líder de uma equipe. Espero que possa ser útil a vocês!

Dicas valiosas

Primeiramente, confie na sua equipe, sem confiança nenhuma relação prospera. Confiança é algo que a gente deposita em alguém, então, deve partir de vocês, Gestores, em relação a sua equipe. Acredite no seu time e na sinceridade dele. Se você não confiar, pode acabar agindo com excesso de controle, e esse excesso de controle, sinto em dizer, ao invés de aumentar a produtividade das pessoas, pelo contrário, pode arruiná-la.

Recentemente, uma cliente minha, de Coaching, que está em home office, me confessou que não aguenta mais o chefe dela, que ela não consegue trabalhar, pois o chefe liga em torno de 4 vezes por dia querendo saber o que ela está fazendo e passando atividades novas, sendo que ela nem chegou a concluir as que o chefe já tinha pedido. Essa cliente me relatou que ela se sente mal com isso, sufocada, pois é como se o chefe não confiasse nela, achasse que ela não estava realizando o seu trabalho. Ela trabalha na empresa há 4 anos, já era para o chefe saber que ela é comprometida e sabe das suas responsabilidades, ela sempre entregou as atividades no prazo e com qualidade!

Pode parecer estranho, mas isso é extremamente comum, ouço de muitos alunos(as) e clientes, e tem sido ainda mais aparente atualmente, com essa situação. Por isso, se você é Gestor(a) e tem uma equipe para liderar, sugiro que tome cuidado, agir desta forma vai afastar e baixar a produtividade da sua equipe. Essa é uma das razões que muitas empresas perdem grandes talentos, há inúmeras pesquisas que indicam que a maioria das pessoas se demitem dos seus chefes e não dos seus empregos.

Estratégias de um bom gestor

Para estabelecer essa relação de confiança e evitar o excesso de controle, você como Gestor(a) pode adotar as seguintes estratégias:

  • Alinhe constantemente com sua equipe qual é o objetivo comum e resultados a serem alcançados por todos, isto é, direcione o trabalho da equipe.
  • Faça reuniões periódicas com a equipe, por exemplo, uma reunião objetiva no começo da semana para definirem as prioridades e os responsáveis por cada tarefa, e outra no final da semana para que possam analisar como caminhou a semana, o que foi feito e que não, e redefinir as prioridades para a semana seguinte.
  • Caso considere relevante, você pode fazer uma reunião diária com cada membro da equipe, 15 minutos no início da manhã para alinhar as prioridades do dia. Feito isso, deixe a equipe trabalhar livremente! Isso demonstra confiança na equipe, e traz mais agilidade e dinamismo.
  • Esse alinhamento, semanal e diário, pode te ajudar a identificar também os obstáculos que a equipe pode estar enfrentando para colocar em ação o plano da semana e, desta forma, você pode ajudar a resolvê-los. Pode ocorrer de uma pessoa estar mais sobrecarregada e, então, será necessário redistribuir as tarefas, ou alguém estar com um problema sério com alguém da família e com dificuldade de se dedicar, neste caso, outra pessoa precisará cobrir as tarefas dela para que não fiquem paradas, e assim por diante.
  • Comunique-se de forma clara com sua equipe, dizendo o que precisa ser feito, para quando (prazos) e, um dos aspectos mais importantes e que geram muitos problemas, como você espera que isso seja feito. Se você já tem em mente uma imagem do resultado de uma determinada tarefa, comunique isso para a sua equipe. Sem esse alinhamento claro de expectativas, a equipe poderá dar andamento, criar de acordo com a visão/entendimento dela e não atender as suas expectativas.
  • Acompanhe o andamento e evolução da equipe por meio de Ferramentas de Gestão, como por exemplo, o Trello. Combine com a equipe, na reunião de início da semana, para que cada responsável preencha na ferramenta, o status das atividades que estão sendo desenvolvidas e você, Gestor(a), vai monitorando por lá, sem a necessidade de entrar em contato a todo momento. Essa estratégia reduz também as comunicações cruzadas, já que todos da equipe podem acompanhar o que cada um está fazendo e isso evita que duas pessoas realizem a mesma tarefa por falha de comunicação.
  • Crie um canal aberto com a equipe em que possam ser compartilhadas dúvidas, questionamentos, dificuldades, limitações e até mesmo erros, pode ser um grupo no WhatsApp, ou outra ferramenta de comunicação que preferirem.

Transparência e segurança são indispensáveis

Concluindo, é imprescindível que você crie um ambiente de transparência e segurança com a equipe. Estabeleça empatia, deixe claro que você entende que “esse é um momento delicado para todos nós e que estamos no mesmo barco!”. E que você está aberto(a) a sugestões, que elas são muito bem vindas e que sua equipe não precisa temer expor suas dificuldades, suas fragilidades e seus erros.

Adotando essas ações, você, certamente, se conectará com seus liderados e desenvolverá uma relação forte, que tende a perdurar.

Líderes que valorizarem e empoderarem o seu time nesse momento, sairão antes da “crise”. A forma como vocês, Gestores(as), tratarem seus colaboradores agora, ficará na memória deles e das pessoas de seu entorno por um bom tempo. E essas atitudes tendem a ser recompensadas lá na frente, em sinal de lealdade e gratidão, estas pessoas, naturalmente, se dedicarão a sua organização com mais afinco. Além disso, terão mais chances de conseguir contratar pessoas boas e competentes, futuramente. As empresas precisam das pessoas para fazer o seu propósito sair do papel e prosperar. Afinal, ninguém faz nada nesse mundo sozinho, não é mesmo?

Espero vocês na AgroMulher Academy Week para explorarmos um pouco mais esses tópicos e trocarmos experiência! Grande abraço!

Julia Cavalheri Tittoto

Consultora e Educadora Corporativa, com foco em Formação e Desenvolvimento de Líderes de Alta Performance, Sucessão Familiar, Carreira, Reestruturação Organizacional e Mapeamento de Processos. Experiência de 11 anos no mercado Agro, tendo vivência em Associação do Setor, Propriedade Rural de terceiros e da família. Professora do MBA de Agronegócio da FGV Management. Coach e Treinadora de Líderes com formações pelo IBC e Instituto Liana Gomes. Graduada em Engenharia Agronômica pela FCAV/UNESP Jaboticabal e Mestre em Administração de Organizações pela FEA-RP/USP.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Julia Tittoto

Atua como Consultora e Educadora Corporativa, com foco em Formação e Desenvolvimento de Líderes de Alta Performance, Sucessão Familiar, Carreira, Reestruturação Organizacional e Mapeamento de Processos. Experiência de 11 anos no mercado Agro. Professora do MBA de Agronegócio da FGV Management. Graduada em Engenharia Agronômica pela FCAV/UNESP Jaboticabal e Mestre em Administração de Organizações pela FEA-RP/USP.

Deixe Seu Comentário