terça-feira, novembro 19

De Têmis a Ana Terra – O campo e as leis, pelas mulheres

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Não se sabe ao certo em que momento Têmis passou a guardar o juramento dos homens e a ser invocada nos julgamentos, perante os magistrados. Embora mítica, é na figura da Deusa que repousam as noções de justiça e equilíbrio. Não por outro motivo, mesmo hoje, tribunais de todo país ostentam em salas e corredores a figura feminina empunhando a espada e a balança, símbolos de equilíbrio e imparcialidade. Culturalmente, funções que as mulheres desempenharam com maestria dentro de casa.

Do lar para as ruas, as mulheres viram seus direitos avançarem a passos curtos (mas firmes) no Brasil: o livre exercício da profissão, o direito ao voto, o divórcio, a Lei Maria da Penha, a tipificação do feminicídio. Bons ventos democráticos sopraram em favor das mulheres nos últimos anos. “Sempre que me acontece alguma coisa importante, está ventando” são as palavras de Ana Terra, personagem central do romance O Tempo e o Vento, de Erico Veríssimo.

Tendo como cenário as dinâmicas da ocupação das terras brasileiras, Ana Terra encarna a figura da matriarca tecendo na roca. Tudo que aprendera com a mãe, ensinou à neta Bibiana. Do romance à vida real, quantas mulheres não se identificam com os ensinamentos passados entre gerações, como com a força necessária para resistir entre disputas territoriais e embates familiares! No campo, o oráculo de Têmis ditava as leis da natureza às quais os homens deviam obediência. Ainda no campo, Ana Terra ensina a resistir e prosperar.

A presença feminina no campo é tão antiga quanto a própria terra, e segue em crescimento e qualidade. Com a Constituição de 88, as mulheres passaram a ter reconhecido o direito ao título de domínio e à concessão de uso da terra. Assim, histórias de sucesso de empreendedoras forjadas na lida não faltam, verdadeira inspiração de sucessoras, agora profissionalizadas: médicas veterinárias, agrônomas, zootecnistas, administradoras, advogadas. Mulheres reais, para além dos mitos.

De Têmis a Ana Terra, o tempo e as leis mudaram. As mulheres também!

Texto de autoria de Rebecca Youssef

Advogada atuante em Cuiabá MT, sócia fundadora do Youssef Guedes Advogados. Formada em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Escreve semanalmente sobre Direito Rural e Agronegócios no @advocaciarural e integra o corpo jurídico AdvAgro Conteúdos Especializados.

Você também pode gostar de:

Sororidade – Venha para esse movimento!

Ela me ensinou a ser líder

Compartilhar.

Sobre o Autor

Agro Mulher

Deixe Seu Comentário